Planejamento financeiro: entendendo as etapas básicas

Fazer um planejamento financeiro é objetivo de muita gente, já que a ferramenta ajuda muito a melhorar o uso dos ganhos mensais, e assim aproveitar melhor diversos aspectos da vida.

Se você não sabe por onde começar, neste artigo indicamos as etapas mais básicas para que o planejamento financeiro realmente aconteça. É só continuar lendo para saber quais são!

Etapas básicas do planejamento financeiro

Abaixo explicamos as cinco etapas mais essenciais para que o seu planejamento financeiro possa ser realizado.

1. Defina objetivos

O item mais essencial do planejamento financeiro é definir para qual objetivo, meta, sonho, qual a finalidade da sua organização financeira, o que exatamente você quer atingir com tudo isso.

O objetivo nesta parte é muito particular, e pode envolver itens como: sair das dívidas, comprar um carro ou casa, fazer uma viagem, estudar, abrir um negócio dentre outros.

Mas por mais simples que ele seja, ele deve ser definido, para que você consiga se manter no caminho do planejamento financeiro.

2. Veja como estão suas finanças atuais

Agora é a hora da verdade, de verificar alguns itens sobre a sua vida financeira, que irão delimitar as próximas etapas do seu planejamento financeiro. O que deve ser verificado é:

  • Quanto você ganha, e aqui deve se analisar os valores líquidos (depois de impostos).
  • Quanto você gasta mensalmente, incluindo itens para viver (alimentos, aluguel, contas) e suas preferências e hobbies (roupas, calçados, cinema, saídas com amigos etc.).

Um item importante é: coloque os VALORES e os ITENS no papel ou documento digital, e veja a diferença, que pode ser:

  • Você ganha mais dinheiro do que gasta.
  • Você gasta mais dinheiro do que ganha.

Se você estiver ganhando mais do que gasta, já pode colocar a etapa 4 do seu planejamento financeiro em prática.

3. Ajuste suas finanças

Esta etapa é para quem gasta mais do que ganha, sendo essencial que, antes de realizar o planejamento financeiro, você organize sua vida financeira, de maneira a fazer os seus gastos se encaixarem nos seus ganhos.

Aqui você vai trabalhar então para reduzir despesas, cortando itens supérfluos ou pouco essenciais, como saídas para comer ou beber fora.

E também alguns tipos de serviços. Como: Netflix, TV a cabo, Prime Videos, Spotify e entre outros. E até mesmo gastos diários. Exemplos: trocar alimentos do dia a dia, reduzir o consumo de água, energia, combustível e etc.

4. Crie uma reserva

Conforme você reorganiza suas finanças, o dinheiro deve começar a sobrar, sendo indispensável que, dessas sobras, você busque criar a chamada reserva de emergência, guardando dinheiro para te ajudar nos imprevistos.

Sobre essa reserva, especialistas indicam que ela seja o suficiente para te manter financeiramente por pelo menos 6 meses.

5. Comece a guardar para os objetivos

E aí as suas sobras também devem ser redirecionadas para o alcance dos seus objetivos. Nesta parte, você tem uma decisão a tomar, sendo:

  • Dividir as sobras para a reserva de emergência e os objetivos.
  • Fazer primeiro a reserva, e depois guardar para os objetivos.

O importante, é reorganizar seus gastos para que haja sobras, e você possa melhorar sua relação com o seu dinheiro!

Por fim, sempre reavalie seus passos, verificando os momentos de crescimento, e ajustando os itens que não ficaram corretos.

O planejamento financeiro vai acontecendo conforme você se livra de situações que te prendem financeiramente. E dessa forma você aprende a valorizar mais o resultado do seu trabalho.

Para outros conteúdos como esse acesse aqui o nosso blog!

Até a próxima.

Um abraço,

Renato Dip

Especialista em Carreiras, Coach & Palestrante